NA PB DEPUTADOS INSATISFEITO MIGRAM PARA UM NOVO PARTIDO




O Partido Ecológico Nacional, PEN, trigésimo criado no país, começa a empolgar deputados estaduais da Paraíba insatisfeitos com desprestígio ou falta de espaços nas legendas a que são filiados. O PEN, inicialmente cortejado pelo deputado Toinho do Sopão, que se desligou do PTN por divergências internas, já tem um nome de peso em potencial para comandá-lo no Estado: o presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Marcelo, filiado ao PSDB. 


Considerado líder dos outros 35 deputados estaduais, pelo trãnsito e capacidade de articulação tanto no bloco governista como no bloco oposicionista, Ricardo Marcelo passou a adquirir consenso para dirigir a nova agremiação, recentemente registrada no Tribunal Superior Eleitoral. Caso isto venha a se concretizar, Toinho do Sopão poderia aspirar à presidência do diretório municipal em João Pessoa.

A empolgação pelo ingresso na nova legenda decorre da insatisfação de deputados com decisões tomadas pelas cúpulas sem consultá-los. O próprio Ricardo Marcelo, cuja candidatura ao Senado em 2014 ganha força nos meios políticos, recusou-se a integrar a Executiva estadual provisória do PSDB, cujo presidente é o deputado federal Ruy Carneiro, porque não teria sido devidamente auscultado a respeito. Há casos de parlamentares revoltados com a invasão de suas bases, nos municípios, por colegas de legendas. A rebelião contra cúpulas está sendo ensaiada na disputa a prefeituras, a partir de João Pessoa. O vereador Raoni Mendes, do PDT, mostra-se inclinado a apoiar a candidatura do deputado Luciano Cartaxo, do PT, discordando da opção pela candidata Estelizabel Bezerra, do PSB, que teria a preferência do presidente estadual, deputado Damião Feliciano.

O PEN deverá congregar, de largada, na Paraíba, uma dezena de parlamentares de diferentes agremiações. No Democratas, presidido pelo ex-senador Efraim Morais, os deputados Branco Mendes e José Aldemir Meirelles estão na fila de migração. No PSL, o deputado Mikika Leitão idem. No PSB do governador Ricardo Coutinho, o deputado Edmilson Soares, que é vice-presidente do Legislativo, tem queixas quanto ao tratamento que recebe. No PPS, o deputado Janduhy Carneiro travou uma queda de braço com a deputada Gilma Germano e com o jornalista Nonato Bandeira, que figura como vice de Luciano Cartaxo desde que renunciou à candidatura à sucessão de Luciano Agra. Nem todas as situações poderão ser facilmente acomodadas no PEN. O deputado Tróccoli Júnior, que deixou o PMDB e filiou-se ao PSD, presidido pelo vice-governador Rômulo Gouveia, terá dificuldade para ingressar de imediato no Partido Ecológico. A cúpula peemedebista faz esforços para atraí-lo de volta ao seio da legenda.

Presidido a nível nacional pelo ex-deputado estadual por São Paulo Adilson Barroso, o Partido Ecológico tem ligações com facções evangélicas, e já sinaliza com uma bancada expressiva na Câmara Federal. A agremiação está impossibilitada de lançar candidatos às eleições deste ano, em virtude de problemas de ordem legal, já que o seu registro pelo TSE só foi deferido recentemente. Mas poderá ter uma atuação surpreendente nas eleições de 2014, quando estarão em jogo cargos importantes como os de governador e senador, além, é claro, da presidência da República. Os novos seguidores da legenda na Paraíba prometem uma entrevista coletiva para esta semana a fim de explicar as razões que os levaram a migrar.

O ex-senador Efraim Morais, atual secretário de Infraestrutura do governo Ricardo Coutinho e presidente estadual do Democratas, reagiu com ironia ao ser comunicado da desfiliação de parlamentares da legenda, afirmando: “Vocês estão ecológicos demais”. A avaliação que está sendo feita entre os que tencionam assinar ficha no PEN é sobre conseqüências legais advindas da troca de partido, como a suposta perda do mandato, diante de recente resolução do TSE estipulando que o mandato pertence à legenda, não ao candidato. Mas há indícios de consultas feitas que tranqüilizaram os parlamentares adesistas: eles poderão trocar de partido este ano graças a um álibi – o fato do PEN não participar oficialmente das eleições para prefeito, vice e vereador. Na prática, desenha-se um fato novo na correlação de forças políticas na Paraíba. Os deputados querem ser valorizados, e avaliam que as atuais cúpulas não estão dando a devida importância ao potencial que eles representam.  

Nonato Guedes 


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é considerado um líder comunitário dos mais atuantes em sua região no Bessa, com ampla participação nas comunidades ao redor, também foi presidente da Associação de Moradores no Condomínio Valparaíso. Suas ações consiste em fazer a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas sociais, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.