PICUÍ TERRA DA MINERAÇÃO


O técnico em mineração  estagiário da Companhia de Desenvolvimento dos Recursos Minerais do Estado da Paraíba -CDRM, estudante de agroecologia do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba –IFPB-Campus Picuí, Antonio de Pádua Sobrinho , vem lutado para fortalecer o setor mineral de nossa região , atualmente dar suporte técnico as cooperativas de mineradores de Picuí e Frei Martinho Paraíba
, na parte de legalização de áreas junto aos órgãos competentes,  além destas partes burocráticas o técnico tem feito o resgate da história da mineração de nossa região , esta sempre visitando os garimpos , conversando com os garimpeiros mais antigos,  fazendo um relato de como iniciou a atividade mineral , situação atual e os avanços que o setor vem tendo nos últimos anos. Além de estar sempre realizando palestras  e exposições de rochas e minerais  de  nosso município e região ,  defendendo que  Picuí  não é só  a terra da carne de sol  e do picolé caseiro é  também é a terra da Mineração.

Esta semana ele esteve, conversando com seu Nozinho dos Santos 77 anos, garimpeiro, já foi vereador e vice-prefeito de Picuí , grande conhecedor da história do município , que relatou  que atividade mineral  na região  teve inicio durante a segunda guerra mundial graças a decisão do governo americano em  enviar  geólogos e engenheiros para  pesquisar e explorar os minérios existentes na localidade  , dentre eles berílio , Tântalo , Nióbio e Tungstênio para o fabrico de equipamentos bélicos que eram extraídos de forma rudimentar e precária sem as mínimas condições  de trabalho ,   chegaram aqui e contaram com a larga experiência dos  garimpeiros, recrutando-os e treinando-os no exercício da atividade de pesquisa e exploração,  segundo ele neste período aconteceram muitos  acidentes, garimpeiros  a perderam  a visão a exemplo dele que tem a visão comprometida ,  além de perda dos  membros superiores e inferiores, culminando muitas vezes com a morte dos trabalhadores,  embora   na época  tenha empregado  muita gente e tornado fonte de renda para muitas famílias como é até  hoje. 

  “ As autoridades governamentais deveriam investir neste setor  e alavancar esta atividade que é realizada há mais de 60 anos em nossa região e que é muito rentável e tem grande representatividade na economia local ,  e as escolas  deveriam trabalhar a história local com seus alunos é necessário  que  se faça o resgate da história para oportunizar as crianças e adolescentes sobre o contato com valores relacionados com sua origem.” Disse Nozinho.



Para Antonio de Pádua estas visitas aos garimpos da região, entrevistas com estes garimpeiros antigos, tem sido de extrema importância para ele . “Tenho aprendido muito e a cada dia me surpreendo com a larga experiência destes garimpeiros porém tenho constatado que apesar dos avanços tecnológicos, o tempo passou, novos garimpos foram descobertos, porém, não ocorreu avanços em tecnologias e pesquisas exploratórias.
O extrativismo mineral continua sendo a principal forma de extração das riquezas do nosso solo e subsolo, empregando-se métodos e instrumentos rústicos, com trabalho executado de forma manual, sem planejamento logístico nas operações de extração do minério, o que dificulta a exploração e um melhor aproveitamento dos recursos existentes .”  Ressaltou


 “Só tenho a Agradecer a seu Nozinho dos Santos e a todos os garimpeiros de Picuí e região pelas informações repassadas e dizer que tenho aprendido muito com eles,  aproveito para destacar alguns nomes : João Biête  e sua esposa dona Josefa , Seu Heleno , João Bezerra , João Carneiro , Miguel Vitalino ... Dentre outros, infelizmente como eu sempre digo Picuí  não é só terra da Carne de sol  e do picolé caseiro , também é a terra da MINERAÇÃO, precisamos resgatar e  valorizar este segmento que estava esquecido e esta base histórica é de extrema importância e precisamos estuda-la, além de buscar melhorias para reverte o quadro existente da atividade levando em consideração os fatores socias , ambientais e econômicos .”Disse Antonio de Pádua Sobrinho.


Com Antonio de Pádua sobrinho
Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é Presidente da Asssociação de Moradores no Condomínio Valparaíso no Bessa, em João Pessoa, com ampla participação nas comunidades ao redor e locais do Bessa, faz a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas socias, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.