MENINA QUER LEILOAR VIRGINDADE PARA PAGAR TRATAMENTO DE SAÚDE DA MÃE


Novamente uma brasileira chama a atenção ao leiloar a virgindade pela internet. Após Catarina Migliorini, que conseguiu o equivalente a mais de R$ 1,5 milhão de um japonês pela primeira relação sexual, a estudante Rebeca Bernardo Ribeiro, que mora em Sapeaçu (BA), também tentou fazer um leilão.
"Eu tinha um pensamento totalmente diferente, que eu só ia perder quando eu casasse. Mas as circunstâncias pedem que eu negocie a minha virgindade, que para mim vai ser um negócio. Não tenho fantasias", diz a jovem em um vídeo divulgado no Youtube.

Segundo a TV Record, Rebeca se arrependeu do vídeo e tirou o registro do site. "Eu tive que parar de frequentar a rua. Não posso nem mais comprar pão, nem carne, entendeu? E nem ir ao colégio. Aí começou essa repercussão negativa", diz a jovem à TV. Ela afirma ainda que queria dinheiro para pagar o tratamento da mãe, que teve dois acidentes vasculares cerebrais (AVC) em quatro anos.

No caso da outra brasileira, Catarina, o leilão da virgindade da brasileira foi lançado no dia 15 de setembro. Com o final dos lances, em 15 de outubro, a brasileira se disse contente com o valor alcançado. "Eu não tinha preferência por ninguém, porque é apenas um negócio. Esse é um bom valor e eu estou feliz", comemorou Catarina.

Natural de Santa Catarina, a jovem trancou a faculdade de Educação Física para participar de um projeto de documentário idealizado pelo diretor australiano Justin Sisely. Durante mais de um ano, o documentarista recrutou virgens, homens e mulheres, na Austrália, mas decidiu ampliar as buscas. A brasileira se candidatou e ganhou a vaga. "Vejo isso como um negócio. Tenho a oportunidade de viajar, fazer parte de um filme e conseguir uma gratificação com isso", explicou após ser escolhida. Além dos US$ 20 mil (R$ 40 mil) que recebeu na assinatura do contrato, todo o valor do maior lance vencedor ficará com a estudante.

Terra
Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é Presidente da Asssociação de Moradores no Condomínio Valparaíso no Bessa, em João Pessoa, com ampla participação nas comunidades ao redor e locais do Bessa, faz a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas socias, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.