LEI DE BIRA QUE FAZ CIRURGIA REPARADORA DE SEIOS É APROVADA NO SENADO



O projeto de lei indicativo apresentado pelo vereador Bira na Câmara Municipal de João Pessoa, determinando cirurgia reparadora para vítimas de câncer de mama, passará a valer em todo o País. Recentemente o Senado aprovou a mesma lei, que aguarda a sanção da presidenta Dilma.


A lei aprovada pelo Congresso determina que o SUS faça a cirurgia reparadora imediatamente após a retirada da mama. Nos casos específicos, quando há contraindicação médica, o procedimento deve ser feito assim que o paciente estiver em condições.

“É gratificante ver uma iniciativa do nosso mandato ganhando proporção nacional. Ainda mais quando se trata de uma medida tão importante para a autoestima de milhares de mulheres vítimas do câncer de mama. Vou continuar cobrando que a rede pública de saúde faça a cirurgia reparadora o mais rápido possível”, disse Bira.

A realização dos dois procedimentos na mesma cirurgia é considerada ideal pelos médicos, porque traz uma série benefícios para as paciente. Agora, os hospitais públicos terão que melhorar a estrutura para atender as mulheres. Hoje, a espera na fila do SUS pode durar anos.

De 2008 até 2012, segundo dados do SUS, 68 mil mulheres tiveram a mama retirada por conta do câncer. Nesse mesmo período, menos de 10% conseguiram fazer a cirurgia reparadora. O Governo Federal não sabe dizer quantas mulheres no total aguardam na fila.



Ascom


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é considerado um líder comunitário dos mais atuantes em sua região no Bessa, com ampla participação nas comunidades ao redor, também foi presidente da Associação de Moradores no Condomínio Valparaíso. Suas ações consiste em fazer a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas sociais, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.