DUAS CENAS EM COMUM? JOAQUIM BARBOSA E O TAPINHA NAS COSTAS. RICARDO COUTINHO E O TAPINHA NAS COSTAS

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Joaquim Barbosa, disse que o " - Brasil é o país dos conchavos, do tapinha nas costas - " na madrugada deste domingo (23) em entrevista ao canal GloboNews. 

Joaquim Barbosa é conhecido no STF e na magistratura como uma pessoa intolerante quanto ao diálogo e de ações ditatoriais e segundo a Associação de Magistrados do Brasil (AMB) , Barbosa tem sido acusado em sua gestão a frente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), de coronelismo e canetaço.

Na Paraíba, um cenário muito parecido, apesar de ambos ocuparem cargos muito diferentes, as críticas do PSDB e do senador Cássio tem o mesma marca que as críticas ao presidente do STF, e o que impressiona é que a resposta do governo, que foi anterior, é bem parecida com a afimação de Joaquim Barbosa,  : “- O povo cansou de sorrisos no rosto, tapinha nas costas de carinhas bonitas sem ações verdadeiras e efetivas para a vida da População - 

Bom, atualmente o consenso popular sobre o diálogo que a classe política, já bem desgastada,  tanto requisita, já é entendido nas rodas populares como “conchavo” e combinações um tanto quanto questionáveis éticamente. 

E porque depois do senador Cássio supostamente constatar tanta falta de diálogo e de sensibilidade humana por parte de RC, sua base e o seu apoio ficou com o governo uma mandato inteiro? Só houve rompimento no despontar das eleições de 2014?

Compartilhe no Google Plus

Quem é Eliseu Mariotti

O Blogueiro Dema Macedo é Presidente da Asssociação de Moradores no Condomínio Valparaíso no Bessa, em João Pessoa, com ampla participação nas comunidades ao redor e locais do Bessa, faz a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas socias, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.