A MORTE DE UM BEBÊ NO ISEA , VINDA DE CUITÉ

A morte de uma criança no ISEA (Instituto de Saúde Elpídio de Almeida) em Campina Grande vinda do município de Cuité no sábado de Aleluia , infelizmente  foi mais um número do Instituto. A médica usou o facebook para culpar a rede municipal de saúde de Cuité a respeito da demora ou falta de atendimento na cidade origem, Cuité. Muitos mais que desabafo ou lamento da morte da criança no ISEA, a médica transferiu  responsabilidades no caso . O ISEA não soltou nota oficial , mesmo assim em cima do relato da médica onde ela não esclareceu que teve contato com a  Central de Regulação do SAMU em Campina Grande , o Blog procurou ouvir o secretário de Saúde de Cuité .


O descaso com a saúde pública em Campina Grande ganhou o noticiário nacional. O programa Bom Dia Brasil, da Rede Globo de Televisão, exibiu uma reportagem mostrando a grande quantidade de mortes de bebês no ISEA.  A reportagem mostrou que, de acordo com o IBGE, a média de mortes de crianças recém-nascidas é de 15,8 mortes para cada 1.000 bebês nascidos vivos. “No ISEA esse índice é quase o dobro: 31,4 mortos”.
  

Solidarizo com a dor da mãe de Cuité que perdeu seu bebê, assim como as demais mães que outrora perderam seus filhos em épocas passadas , onde o número de bebês mortos (anjos) em Cuité fazia filas no cemitério. Hoje esses números foram reduzidos, o que levou a maternidade de Cuité obter o selo UNICEF. 

ATENDIMENTO DO SAMU 
Todo atendimento do SAMU na região do Curimataú , passa inicialmente pela Central de Regulação em Campina Grande, registro um fato de um acidente de trânsito que envolveu motociclista  a poucos metros do Hospital Municipal de Cuité e do SAMU , a vitima esperou horas para ser atendido pelo SAMU que dependia da autorização da Central de Regulação em Campina Grande para proceder ao socorro. 

Pois bem, foi esse calvário que passou a gestante segundo a médica do ISEA com DPP (Descolamento Prematuro de Placenta), o Blog também ouviu uma médica obstetra em João Pessoa que disse : muitos dos casos com DPP após 20 minutos são difíceis  salvar as crianças com vida. 

DEMORA DO SAMU 
Da saída da ambulância de Cuité, conforme regulação em Campina Grande passou em Barra de Santa Rosa onde fez uma troca, o motivo da retirada da gestante da ambulância avançada para uma SAMU básica, se deu para atender outra urgência de uma criança que teve que ser entubada. Naquele instante estavam três vidas  em risco , portanto o que precisa para que fatos como esses não se repitam é buscar mais ambulâncias com Unidade de Suporte Avançado (UTIs móveis) para as cidades pólos da região, Cuité e Picuí. 


VERDADE DOS FATOS 
Como o fato, aconteceu no sábado feriadão e no interior é difícil segurar um anestesista neste dias, lamentavelmente não tinha anestesista no Hospital de Cuité, nem poderia encaminhar para o mais próximo o Regional de Picuí que segundo a “Regulação de Campina” também estava sem anestesista para realizar a Urgência Obstétrica.  

PARTO CESÁRIO EM CUITÉ  
Segundo o secretário de saúde de Cuité, Gentil Palmeira ainda nesta semana Dr.Medeiros fez um parto Cesário, apenas as cesáreas de baixo risco são feitos em Cuité de médio e alto risco no regional de Picuí de acordo com valores repassados para aquela unidade. 

SOLUÇÃO 
Uma das soluções ainda está distante, poderia advir com o curso de Medicina no Campus UFCG em Cuité somente assim teríamos um Hospital de referencia , mesmo sabendo que alguns hospitais universitários no país andam sucateados. 


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é Presidente da Asssociação de Moradores no Condomínio Valparaíso no Bessa, em João Pessoa, com ampla participação nas comunidades ao redor e locais do Bessa, faz a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas socias, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.