REPRESENTANTES DA SAÚDE DO CURIMATAÚ PEDE SOCORRO AO GOVERNO DO ESTADO

A nova Gerente 4ª Regional de saúde, Cristiane Santos enfrentará junto aos municípios a maior “crise” na rede de Saúde da região do Curimataú e Seridó Paraibano , os secretários de saúde da região pede socorro a secretária de saúde do estado, Roberta Abath  a questão central  é quem deve não paga, não acorda junto ao governo do estado a pactuação para o Regional de Picuí.

As reivindicações, junto ao governo do estado por melhorias no Regional de Picuí são justas e o manifesto através de oficio subscrita pela secretária do município de Baraúnas e presidente da 4ª Comissão Intergestora Regional (CIR) Alsenita  Azevedo (foto acima) ,  teor do ofício é bastante preocupante.

O ofício reporta o caráter de urgência desde questões pontuais na escala do plantão médico a condições de trabalho que faltam equipamentos cirúrgicos para a ortopedia que muitas intervenções teriam resolutividades na própria região.

Até o momento nenhuma nota do Regional de Picuí, foi emitido apenas o contra ataque do deputado, Buba Germano em programas de rádio na região transferindo o problema para questões políticas , o curioso é que a presidente  da Comissão Intergestora Regional , Alzenita Azevedo é secretária de saúde do governo municipal de Baraúnas, aliado do deputado.

Nos últimos dias, Buba Germano vem acusando a secretaria de saúde de Cuité em “torrar” o dinheiro da saúde, segundo Buba recebe milhões de verba federal e por referenciar prejudica os demais municípios. O secretário de Saúde, Gentil Palmeira rebateu.

Na verdade é preciso que o Ministério Público fiscalize o que estar havendo se há mesmo desvio de dinheiro da saúde na região ou sendo mal utilizado. Para isso é preciso que pelo menos as câmaras municipais  se sensibilizem e crie  uma comissão da saúde para lutar por melhorias na saúde da região, bem como provoque o deputado estadual, Ricardo Barbosa presidente da “Comissão da Saúde” na ALPB para que tome conhecimento dos problemas.

E por falar em “Torrar” dinheiro da saúde, que antes de culpar apenas o governo do estado passe a limpo e fecha a conta, assim como foi no município de João Pessoa que através do MP assinou um TAC para pagar ao Governo do Estado a divida referente ao repasse mensal dos recursos pelos serviços de alta complexidade.

É preciso esclarecer a contabilidade dos repasses obrigatórios para quem referencia antes cobrado pelo então secretário de Saúde Waldson Sousa junto aos diversos municípios, também fora compactuado com a prefeitura de Picuí que tinha deixado de repassar milhões à época aos cofres da saúde do estado?   Na falta deste repasses, reflete na qualidade de atendimento nas unidades hospitalares.

Eis o ofício:

4ª COMISSÃO INTERGESTORES REGIONAL DO CURIMATAÚ E SERIDÓ PARAIBANO

Oficio nº 01/2015/ CIR / 4º REGIÃO DE SAÚDE      Cuité, 11 de março de 2015.

Ilmª. Senhora
Dra. Roberta Abath
Secretária de Saúde de Estado

Senhora Secretária,
Em reunião ordinária da 4ª Comissão Intergestores Regional - CIR, realizada no dia 11 de março de 2015, às 08 horas, na cidade de Nova Palmeira/PB, os Secretários Municipais da região elencaram como principais problemas no Hospital Regional de Picuí/PB, não obstante já termos realizado contatos com a direção do hospital, na tentativa de minimizarmos essas situações:

ü  Problemas de Escala no Plantão dos Profissionais Médicos;
ü  Ausência de Equipamentos Cirúrgicos que poderiam dar resolutividades aos nossos municípios, como por exemplo, a ortopedia;
ü  Ausência de Acolhimento/Qualificação dos profissionais para com os usuários;
ü  Ausência da garantia no atendimento da Clinica Obstétrica de Baixo Risco (finais de semanas com ausências de anestesista e outros profissionais); conforme o CNES não há cadastro de médico ginecologista/obstetra;
ü  Limitações nos procedimentos de Cirurgias Eletivas (Projetos e PPI);
ü   Ausência de responsabilização das transferências dos internos pelo serviço hospitalar;
ü  Ausência da realização de Exames de Imagens dos pacientes internos (Raios-X e Ultrassonografias);
ü  Fortalecimento do vínculo da Direção do Hospital com a CIR;
ü  Dificuldade em transferir pacientes do Hospital de outros municípios exigindo Ambulância quando os municípios de pequeno porte não estão estruturados para tal procedimento;
ü  Pacientes apresentando Infecção pós cirúrgicos chegando a Atenção Básica com problemas e tendo que retornar ao hospital e queixando-se do mal atendimento  por isto;
ü  Falta de profissionais anestesistas e os médicos fazendo o procedimento sozinho como já tivemos informações pelos próprios pacientes;
ü  Falta de humanização em alguns profissionais que tratam os pacientes como se não tivessem direitos ao atendimento;
ü  Vários casos de pacientes que realizaram o procedimentos de Laqueaduras com idade abaixo de vinte anos (20) e só com um (1) filho, isto tem prejudicado bastante a vida destas usuárias.


Diante do exposto, solicitamos de V. S.ª providências no sentido de realizarmos uma pauta na CIR com a participação da área hospitalar dessa Secretaria de Estado e Direção do Hospital.


Atenciosamente;

Alzenita da Silva Azevedo
Presidenta da 4ª CIR

Esperamos ansiosamente que sejam resolvidos esses problemas!


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é considerado um líder comunitário dos mais atuantes em sua região no Bessa, com ampla participação nas comunidades ao redor, também foi presidente da Associação de Moradores no Condomínio Valparaíso. Suas ações consiste em fazer a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas sociais, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.