SOLTE O PASSARINHO ...

Embora as autoridades ambientais ainda não saibam como proceder, a caça e cativeiro de aves virtuais irei aqui escrever um pouco da minha experiência com alguns ornitólogos.  Criar para soltar, assim devemos nos comportar com a reintrodução na natureza. 

Se pensarmos apenas em prender, posso afirmar como ex criador registrado pelo IBAMA e SUDEMA tendo credenciais para falar o exemplar que nasceu fora do cativeiro deve estar fora dele, e o que nasceu nele deve estimular a reprodução para repovoar e perpetuar a espécie na natureza. 

 Diferente de algumas espécies políticas nocivas que querem se perpetuar no poder.  Como Patativa do Assaré bem dizia em um dos seus poemas “ Quando o sol nascente se levanta espalhado os seus raios sobre a terra , entre a mata gentil ( essa gentil mesmo) da minha serra em cada galho um passarinho canta. 

Da canção do exilo das melhores palmeiras , podemos recitar parte do poema de Gonçalves Dias " Minha terra tem palmeiras , onde canta o sabiá ; as aves que aqui gorjeiam, não gorjeiam como lá"

Como bem disse o conterrâneo Charles Camaraense " Não se corta a asa de um pássaro para tentar tirar a sua liberdade, muito menos podem impedir que o povo sonhe com dias melhores"  Um recado para quem armou uma arapuca para prender passarinho.

Nas injustiças quando não se dá o direito do contraditório de pelo menos ouvir o pássaro cantar, transcrevo uma estória da escritora Cíntia Flor.

Joãozinho acordou bem cedo e deitou-se junto ao pai na cama, acariciando seus cabelos loiros, o pai já imaginava como seria seu dia no trabalho, até que João interrompeu seus pensamentos:
- papai me dê um passarinho?
- Um passarinho?
O pai saiu para o trabalho já pensando que teria que comprar-lhe o bichinho, mas seria bom, pois o filho teria com o que se divertir.
A gaiola era linda, dentro, um passarinho branco e amarelinho. Joãozinho ficou encantado e em seus olhos rolaram pequeninas lágrimas de emoção:
-É meu papai? Vou poder brincar com ele?
O pai acenou com a cabeça, e logo foi procurando um lugar para a linda gaiola.
No dia seguinte, quando Joãozinho acordou, foi logo dar comida pro amiguinho, e assim foram vários dias, o pai estava contente, pois o garotinho agora tinha algo para lhe dar alegria.
O passarinho cantava todas as manhãs, e Joãozinho pensava: ele está feliz, por que eu estou aqui cuidando dele...
Certa manhã, o passarinho parecia triste, não cantou. Joãozinho pensou que ele poderia estar doente, então o levou ao veterinário:
- Moço, ele é um passarinho muito feliz, todos os dias ele canta, está sempre alegre, e hoje ele não cantou, o senhor pode curá-lo? Ele é o meu melhor amigo!
Depois de examiná-lo, o velho senhor, orientou o garoto:
- Criança, você gosta de correr, jogar bola, tomar sorvete...?
_ Claro!
_ o Passarinho também gosta de voar, lá no céu, junto com os outros pássaros... Ele está triste, mas isso vai passar e quando ele acostumar voltará a cantar, fique tranqüilo.

O garotinho voltou para casa, e quando seu pai chegou, disse:
-Papai, solta o passarinho.
- Mas se eu soltá-lo vai embora, não vai ficar aqui com você...
- Se ele quiser ir embora, pode ir, mas vai estar feliz e vai cantar todas as manhãs, mas se ele for mesmo meu amigo voltará para me visitar...

O pai ainda rejeitou a idéia:
- Mas filho, custou dinheiro.
- É pai, pode tirar da minha mesada, eu compro a liberdade dele.

E assim foi... Todo dia Joãozinho, ia até a janela com a esperança de encontrar o passarinho, passava pela gaiola, e lembrava-se de seu canto.
Um dia o pai o viu triste e disse:
- Não falei a você, não poderíamos tê-lo soltado, agora ele nunca mais vai voltar...
- Mas ele está feliz, um dia se ele voltar, não deixará de cantar...
E no outro dia estava lá tomando seu café da manhã, quando na janela apareceu um passarinho todo amarelinho, cantando, pelo ar.

O Verdadeiro amigo sempre está por perto...


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é considerado um líder comunitário dos mais atuantes em sua região no Bessa, com ampla participação nas comunidades ao redor, também foi presidente da Associação de Moradores no Condomínio Valparaíso. Suas ações consiste em fazer a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas sociais, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.