ABAIXO-ASSINADO PARA MELHORIAS NO MERCADO PÚBLICO DE CUITÉ

Quem freqüenta o Mercado Público de Cuité percebe o estado de deterioração que se encontra principalmente no galpão onde se tem os boxes de comercialização de carnes. Por fora teve sua frente pintada e por dentro a realidade é outra o que nos lembra o ditado popular : " Quem vê cara não vê coração".


O radialista Flávio Fernandes e os amigos Clodoaldo Pereira e Francisco Neto andam pela cidade coletando assinaturas através de um abaixo-assinado onde reivindica do Executivo Municipal melhorias para o Mercado, dentre elas, a retirada dos animais que perambulam dentro do mercado. Um abaixo-assinado eletrônico deve ser feito nos próximos dias para contar com maior número de pessoas. 

Alguns galpões passaram por reforma, na verdade não foram eleitas prioridades pela gestão municipal. Os boxes das “carnes”  se encontra numa  verdadeira precarização.  

A Vigilância Sanitária do Município é outro problema além de não fiscalizar nem a comercialização de água na cidade, só atua quando a bronca não é com eles e assim a saúde pública do município vez ou outro enfrente epidemias. 

 A reclamação também parte por alguns comerciantes ( marchantes ), segundo eles pagam uma taxa de comercialização e o local não recebe o tratamento higiênico mais simples como varrição diária  sem contar com rebocos caídos e infiltrações.  

Não é de hoje os problemas que a população convive com animais dentro do mercado.   No local onde funciona o Mercado de Artesanato, funcionava a barraca do saudoso poeta Martinho onde ele cuidava de vários gatos.  Na época ele mostrava a preocupação com os animais para que fossem retirados do local sem maus tratos, os gatos sumiram e a suspeita foi que foram mortos. 

Nas redes sociais, uma internauta postou que o medo dela é fazer com os cães a mesma cosia que fizeram com os gatos  “matarem”. Os animais de Rua em Cuité não são alimentados, por isso, procura o mercado para tomar água e se alimentar. Por todo este tempo a frente do Executivo Municipal a gestão não apresentou um projeto para construir seu Centro de Zoonoses.

Basta observar os empenhos do executivo com “queima de fogos!” que dava para construir um espaço de proteção de animais e com certeza haveria voluntários para ajudar a manter.   

De acordo com o deputado estadual Charles Camaraense (PSL) frequentador da feira-livre de Cuité, disse que a descontinuidade de reforma do Mercado é mais uma prova que a Gestão Municipal estacionou.  É preciso  dar continuidade e eleger prioridades como a reforma do galpão dos boxes das “carnes” e  ampliação do mercado da feira-livre. 

O deputado falou que esses trabalhadores são pessoas que dependem exclusivamente da venda para sustentar as famílias, por isso, precisam de uma melhor estrutura no mercado para atrair mais cliente  e aumentar as vendas.

“É preciso incentivar à venda dos produtos agros ecológicos produzidos através da Agricultura Familiar. Elaborar projeto e enviar para o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), de onde deve receber recursos para realizar algumas obras no Mercado” disse o deputado.

Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é Presidente da Asssociação de Moradores no Condomínio Valparaíso no Bessa, em João Pessoa, com ampla participação nas comunidades ao redor e locais do Bessa, faz a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas socias, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.