VIOLÊNCIA NO TRÂNSITO: MORTE DE NEGÃO NÃO PODE FICAR NA IMPUNIDADE

A  morte do jovem Silvailson Silva de 25 anos , montador de móveis que foi a óbito no hospital de traumas em Campina Grande na semana passada , após cair da carroceria de uma Montana na Br-104 entre Cuité e Nova Floresta , não pode ficar impune . A empresa de móveis  Icasa que o jovem prestava serviço deve ser responsabilizada.

Uma vida não seria ceifada se a empresa transportasse seu funcionário em local apropriado e móveis ou utensílios em carro fechado ( baú). Essa  foi uma prova inconteste que a empresa não atendeu as normas de segurança de trabalho. 

Informes que até o momento a empresa não tem prestado assistência a família da vitima,  uma ONG em Campina Grande é quem deu apoio a acompanhante de Silvailson ( Negão) no hospital.

A solução desse gravíssimo problema passa pela Educação, Engenharia (dos carros, das ruas e das estradas), Fiscalização e Punição. Empresas como a Decorama em Cuité é exemplo , não coloca em risco a vida de seus funcionários e  o transporte de móveis é feito em carro baú.
Nos últimos dez anos as mortes no trânsito no Brasil  cresceram  mais de 4% ao ano. É inconcebível que um ferimento ou morte de uma pessoa, no trânsito, com culpa razoavelmente comprovada, não tenha consequências imediatas para o seu autor. Os Amigos do Trânsito do Curimataú  é pela  paz no trânsito e clama por Justiça protetiva .   
É um absurdo a vítima ou sua família ficar esperando as respostas da Justiça anos e anos. Formulada uma acusação formal e recebida a denúncia, depois do devido contraditório, neste mesmo ato o juiz, respeitando os princípios da razoabilidade, necessidade e proporcionalidade, já deveria impor uma série de medidas cautelares protetivas e de urgência, tais como suspensão da habilitação, indisponibilidade de bens (para garantia da indenização), reparação provisória dos danos, fixação de alimentos em favor dos familiares das vítimas necessitados.


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é Presidente da Asssociação de Moradores no Condomínio Valparaíso no Bessa, em João Pessoa, com ampla participação nas comunidades ao redor e locais do Bessa, faz a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas socias, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.