DEFENSOR PÚBLICO NA PARAÍBA REQUEREU QUE ACUSADOS SOB FORTE ESCOLTA POLICIAL LHES FOSSEM RETIRADAS AS ALGEMAS PERANTE MAGISTRADOS, MP E DEFENSORIA

O defensor público , Fernando Enéas  requereu junto  ao magistrado Manoel Abrantes, titular da 3ª Vara Criminal do Fórum Regional de Mangabeira, por Justiça e humanidade, que aos acusados que aportam às audiências – algemados e sob forte escolta policial – lhes fossem retiradas as algemas quando postados perante o magistrado, ministério público e defensoria. 

“Entendo que o exercício defensorial deve ser exercido honrando os direitos da pessoa humana vulnerável, sem os quais nossa instituição existiria em grau de molusco, sem vértebras, sem individualização.”  disse o defensor público. 

Segundo ele não  consta que os acusados da Lava Jato compareçam algemados perante o magistrado Moro. Dizia Nabuco (O abolicionismo/ Joaquim Nabuco; Editora Nova Fronteira) que a Pátria deve proteção igual a todos os seus filhos, indistintamente, não podendo discriminar nenhum.

Fernando Enéas , destacou que é  dever do Estado de Direito o devido respeito a dignidade do acusado; manter algemado um suposto acusado num fórum ou tribunal é reconhecer que a segurança é falha; é desacreditar na possível reestruturação social do individuo acusado, sobretudo fazendo-lhe passar por tamanha humilhação para que ele mesmo se sinta diferente e rejeitado social e judicialmente. 

O defensor ainda acrescentou que a justiça brasileira, por todo seu histórico, sempre exibiu indisfarçável diferenciação de classes. O Estado brasileiro nunca respeitou o individuo como ser participante de uma sociedade, mas sim, o respeita pelo peso da bolsa, pelo nome de família, pela herança genética "bancaria"... Sempre vivenciamos essa barbaridade sócio- judicial.

De acordo com ele a  vergonha nacional é nosso cliché social, este que nos separa entre pobres e negros como seres delinquentes, sem chances nem possibilidades de se realizarem. O que dizer da outra classe: os brancos e ricos? Os que administram nosso país fazem justiça para si própria, deixando na lama do esquecimento aqueles que acabam por caírem na delinquência. A base é entender o porque deste caminho tomado pelos que não tem chances... e que não escolhem, porque não tem escolhas! Estes são levados a seguir condignamente por falta de investimento sócio - governamental no âmbito desigual de nossa sociedade. 

“ Vergonha é não dar oportunidades e, sobretudo desacreditar no reestruturação do ser humano, negando-lhe um mínimo de dignidade” completou .


Compartilhe no Google Plus

Quem é Dema Macedo

O Blogueiro Dema Macedo é considerado um líder comunitário dos mais atuantes em sua região no Bessa, com ampla participação nas comunidades ao redor, também foi presidente da Associação de Moradores no Condomínio Valparaíso. Suas ações consiste em fazer a ligação do poder público com as comunidades, procurando solucionar os problemas sociais, de infraestrutura e apoio familiar. Também participa ativamente do cenário político em em Cuité, município onde nasceu.
    Comente por aqui
    Comente com o Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.