segunda-feira, 3 de julho de 2017

EXAMES CONFIRMAM , MULHER MORREU DE RAIVA HUMANA NO RECIFE

Instituto Pasteur, de São Paulo, examinou amostras de saliva, líquido encéfalo-raquidiano, sangue e pele da mulher, de 36 anos  empresária de um Pet Shop do Recife . Ela morreu no dia 29 de junho. Em Pernambuco, última ocorrência da doença em humanos no Recife foi em  2008. 




Desde 2004, não havia registro de raiva canina ou felina no Recife. O último caso da doença em humanos na capital tinha sido notificado em 1998. Em Pernambuco, o registro anterior foi de um garoto, diagnosticado com a doença em 2008. Morador de Floresta, no Sertão, ele levou uma mordida de um morcego. O adolescente sobreviveu e o caso se tornou a primeira ocorrência de cura de raiva humana no Brasil.

De acordo com o G1 no caso da vitima pernambucana a médica  ressalta que os testes mostraram, ainda, que a vítima foi infectada por uma variante do vírus da raiva comum em morcegos. “Podemos entender que o morcego infectou o gato, que transmitiu a doença para a mulher”, observou a médica.
O laudo ficou pronto no sábado (1º). No entanto, os médicos que cuidaram da paciente só tiveram acesso aos resultados na manhã desta segunda.

A raiva é um assunto pouco debatido entre os brasileiros. As informações normalmente se restringem apenas a raiva animal, não dando importância a raiva humana, transmitida por animais domésticos e selvagens todos os anos a milhares de pessoas. Segundo a Organização Mundial da Saúde, mais de 50 mil indivíduos morrem todos os anos de raiva no mundo, principalmente em países da Ásia e África, onde se concentram 95% das mortes pela doença.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.