domingo, 19 de novembro de 2017

BADO , ASSESSOR DE CÁSSIO GANHA TÍTULO DE "ASPONE" ASSESSOR DE P. NENHUMA

O ex-prefeito de Cuité, Bado Venâncio ganha  nome no meio político: Aspone, substantivo dado a pessoas que exerce um cargo sem função real ou útil.  Bado é assessor parlamentar onde percebe mensalmente R$ 12 mil a disposição do gabinete do Senador Cássio Rodrigues da Cunha Lima.


Em sua carrega política Bado já recebeu alguns apelidos que pegou : Deputado Danoninho (com prazo de validade ) autor do batismo foi o vereador Ataíde de Picuí e agora  de Assessor Aspone do senador Cássio, autor do batismo ex-secretário de estado Tárcio Pessoa.  O  registro de nascimento do Aspone foi no  último sábado no programa de rádio na 89 FM Cuité. 


Aspone é uma gíria brasileira composta das letras iniciais da frase Assessor de Porra Nenhuma.   O Aspone é àquele tipo de funcionário que preenche um cargo, onde não tem função nenhuma, no caso do assessor do senado federal Bado Venâncio é mais um ônus a maias na folha de pagamentos, custeado pelos impostos dos brasileiros. 

Enquanto o Brasil com a crise econômica e política chega ao patamar de 13 milhões de desempregado e outros empregados percebendo apenas um salário o Aspone Bado Venâncio ganha 12 mil só com a cara. 

Esse tipo de Assessor Parlamentar completamente desnecessário para a população está ali por ter apadrinhamento político ou familiar.  No cargo de assessor no senado federal muitos são distribuídos cargos à ex- vereadores e ex-prefeitos no intuito de aboiar os votos até as urnas. 

É assim que muitos eleitores são guiados, como gado por seus donos de currais eleitorais. A existência do Aspone irá existir até quando o eleitor se deixar levar por esse processo eleitoral ultrapassado. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê a sua opinião sobre esta publicação.